ANOREXIA X OBESIDADE

Olá… Tudo bem com vocês???
Hoje, irei abordar um assunto de extrema importância no nosso dia-a-dia: SAÚDE.
Muito se fala em padrões de beleza, mas será que as pessoas que se encontram neste “padrão”, estão com a sua saúde em dia?
É de se pensar…
Justamente por isso, vamos discutir um pouco a respeito. Não pela beleza imposta pela sociedade, mas sim focando as pessoas que o #COMOFAZ pretende atingir: tanto as que estão abaixo do peso, quanto as que estão acima dele.
Vamos falar sobre dois temas importantes que, hoje em dia, vem sendo bastante comentados: ANOREXIA x OBESIDADE.



O que é a ANOREXIA?

Essencialmente, é o comportamento persistente que uma pessoa apresenta em manter seu peso corporal abaixo dos níveis esperados para sua estatura, juntamente a uma percepção distorcida quento ao próprio corpo, que leva o paciente a ver-se como “gordo”. Apesar das pessoas em volta notarem que o paciente está abaixo do peso, que está magro ou muito magro, o paciente insiste em negar, em emagrecer e perder mais peso.


Como é o paciente com ANOREXIA?
O paciente anorético só se destaca pelo seu baixo peso. Isto significa que no seu próprio ambiente as pessoas não notam que um determinado colega está doente, pelo seu comportamento.
Há dois tipos de pacientes com anorexia. Aqueles que restringem a alimentação e emagrecem, e aqueles que têm episódios denominados binge. Nesses episódios os pacientes comem descontroladamente até não aguentarem mais e depois vomitam o que comeram. Às vezes a quantidade ingerida é tão grande que nem é necessário induzir o vômito, o próprio corpo se encarrega de eliminar o conteúdo gástrico. Há casos raros de pacientes que rompem o estômago de tanto comerem.


Qual o curso dessa patologia?
A idade média em que surge o problema são 17 anos. Encontramos muitos primeiros episódios entre os 14e 18 anos. Dificilmente começa depois do 40 anos.


Sobre quem a anorexia costuma incidir?
As mulheres são largamente mais acometidas pela anorexia. Entre 902 e 95% dos casos são mulheres. A faixa etária mais comum é a dos adultos jovens e adolescentes, podendo atingir até a infância, o que é bem menos comum. A anorexia é especialmente mais grave na fase do crescimento porque pode comprometer o ganho esperado para a pessoa, resultando numa estatura menor do que a que seria alcançada caso não houvesse anorexia.


Tratamento
O tratamento da anorexia continua sendo difícil. Não há medicamentos específicos que restabeleçam a correta percepção da imagem corporal ou desejo de perder pedo. Por enquanto as medicações têm sido paliativos. As mais recomendadas são os antidepressivos tricíclicos (possuem como efeito colateral o ganho do peso). Os antidepressivos inibidores da recaptação da serotonina têm sido estudados, mas devem ser usados com cuidado, uma vez que podem contribuir com a redução do apetite. É bom ressaltar que os pacientes com anorexia têm o apetite normal, ou seja, sentem a mesma fome que qualquer pessoa. O problema é que apesar da fome se recusam a comer.


Fonte: http://www.psicosite.com.br/tra/ali/anorexia.htm 



O que é a OBESIDADE?
Denomina-se obesidade uma enfermidade caracterizada pelo acúmulo excessivo de gordura corporal, associada a problemas de saúde, ou seja, que traz prejuízos à saúde do indivíduo


Como se desenvolve ou se adquire?
Nas diversas etapas do seu desenvolvimento, o organismo humano é o resultado de diferentes interações entre o seu patrimônio genético (herdado de seus pais e familiares), o ambiente sócio econômico, cultural e educativo e o seu ambiente individual e familiar.
Assim, uma determinada pessoa apresenta diversas características peculiares que a distinguem, especialmente em sua saúde e nutrição.


O que sente?
O excesso de gordura corporal não provoca sinais e sintomas diretos, salvo quando atinge valores extremos. Independente da severidade, o paciente apresenta importantes limitações estéticas, acentuadas pelo padrão atual de beleza que exige um peso corporal até menor do que o aceitável como normal.
Pacientes obesos apresentam limitações de movimento, tendem a ser contaminados com fungos e outras infecções de pele em suas dobras de gordura, com diversas complicações, podendo ser algumas vezes graves. Além disso, sobrecarregam sua coluna e membros inferiores, apresentando, a longo prazo, degenerações (artroses) de articulações da coluna, quadril, joelhos e tornozelos, além de doença varicosa superficial e profunda (varizes) com úlcera de repetição e erisipela.
A obesidade é fator de risco para uma série de doenças ou distúrbios que podem ser:

Doenças
Distúrbios
Hipertensão arterial
Distúrbios lipídicos
Doenças cardiovasculares
Hipercolesterolemia
Doenças cérebro-vasculares
Diminuição de HDL (“colesterol bom”)
Diabetes Mellitus tipo II
Aumento da insulina
Câncer
Intolerância à glicose
Osteoartrite
Distúrbios menstruais/Infertilidade
Coledocolitíase
Apnéia do sono

Como o médico faz o diagnóstico?

A forma mais amplamente recomendada para avaliação do peso corporal em adultos é o IMC (índice de massa corporal), recomendado inclusive pela Organização Mundial da Saúde. Esse índice é calculado dividindo-se o peso do paciente em kilogramas (Kg) pela sua altura em metros elevada ao quadrado (quadrado de sua altura) – (ver ítem Avaliação Corporal, nesse site). O valor assim obtido estabelece o diagnóstico da obesidade e caracteriza também os riscos associados conforme apresentado a seguir:

IMC ( kg/m2)
Grau de Risco
Tipo de obesidade
18 a 24,9 
Peso saudável
Ausente
25 a 29,9 
Moderado
Sobrepeso (Pré-Obesidade)
30 a 34,9 
Alto 
Obesidade Grau I
35 a 39,9
Muito Alto
Obesidade Grau II
40 ou mais
Extremo 
Obesidade Grau III (“Mórbida”)


Como se trata?

O tratamento da obesidade envolve necessariamente a reeducação alimentar, o aumento da atividade física e, eventualmente, o uso de algumas medicações auxiliares. Dependendo da situação de cada paciente, pode estar indicado o tratamento comportamental envolvendo o psiquiatra. Nos casos de obesidade secundária a outras doenças, o tratamento deve inicialmente ser dirigido para a causa do distúrbio.
Como se previne?
Uma dieta saudável deve ser sempre incentivada já na infância, evitando-se que crianças apresentem peso acima do normal. A dieta deve estar incluída em princípios gerais de vida saudável, na qual se incluem a atividade física, o lazer, os relacionamentos afetivos adequados e uma estrutura familiar organizada. No paciente que apresentava obesidade e obteve sucesso na perda de peso, o tratamento de manutenção deve incluir a permanência da atividade física e de uma alimentação saudável a longo prazo. Esses aspectos somente serão alcançados se estiverem acompanhados de uma mudança geral no estilo de vida do paciente.

Agora que já conseguimos nos situar e aprender um pouco mais sobre o que é a ANOREXIA e a OBESIDADE, é hora de falarmos sobre os cuidados básicos que devemos ter com a nossa saúde, não importando o biótipo, sendo assim, válido para qualquer pessoa: magrinha(o), fofinha(o), a gostosona da cerveja ou o saradão da academia (rs).
Brincadeiras a parte, uma coisa é fato, com saúde não se brinca, portanto, para encerrarmos esta matéria, vou deixar 3 dicas super importantes, para que você deixe a sua em dia, ok?


Tenha uma alimentação balanceada
Basicamente, para ser considerada balanceada, a alimentação deve conter alimentos de diversos tipos, como: carne, verduras, legumes, arroz, macarrão, feijão, frutas, leite e derivados. até mesmo gordura e açúcar, além de atender às necessidades nutricionais de cada pessoa.

Esses alimentos dividem-se em grupos:

GRUPO DAS FRUTAS;
GRUPO DOS CEREAIS;
GRUPO DAS HORTALIÇAS;
GRUPO DO LEITE e DERIVADOS;
GRUPO DAS CARNES;
GRUPO DAS LEGUMINOSAS;
GRUPO DAS GORDURAS, e
GRUPO DOS DOCES E AÇÚCARES.

( O médico nutricionista, é a pessoa mais indicada a lhe dar maiores informações sobre como utilizar cada um desses grupos, vale a pena procurar um de sua confiança).



Pratique exercícios físicos
A prática regular de atividade física sempre esteve ligada à imagem de pessoas saudáveis. Antigamente, existiam duas idéias que tentavam explicar a associação entre o exercício e a saúde: a primeira defendia que alguns indivíduos apresentavam uma predisposição genética á prática de exercício físico, já que possuíam boa saúde, vigo físico e disposição  mental, a outra proposta dizia que a atividade física, na verdade, representava um estímulo ambiental responsável pela ausência de doenças, saúde mental e boa aptidão física. Hoje em dia sabe-se que os dois conceitos são importantes e se relacionam



Visite o seu médico regularmente
O ditado já diz: é melhor prevenir que remediar. E, para prevenir, além de manter hábitos saudáveis, como os citados acima, uma das medidas é fazer exames com regularidade, o chamado CHECK UP. Mas não basta somente fazer o pacote de exames recomendados e ver o resultado por conta própria. Para manter a saúde em ordem, é importante visitar o seu médico regularmente, pois a avaliação não é feita apenas pelos exames laboratoriais, ela já começa no consultório. E fiquematentos: os exames variam de acordo com a idade.

Creio que tenha deixado clara a importância de nos cuidarmos.

Ainda existem outros cuidados a serem discutidos, como por exemplo: cabelos, unhas, pele…
Ai ai ai, melhor parar porque já estou me empolgando de novo e estes são assuntos para um outros posts.

Até mais pessoal e espero que tenham gostado!

Beijos com sabor de vida,

Paty Mierzwa

.







Anúncios

About comofaz2012

Sou feliz, sou sonhadora, sou mãe, sou divertida, sou mal humorada, sou curiosa, sou como você e diferente de você, sou mulher, sou eu mesma, mas não serei a mesma para sempre... simplesmente sou!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: